Representante e distribuidor exclusivo para Portugal e PALOPS das marcas Breezair, ClimateWizard e Coolerado, de origem australiana, a Coolair está há 20 anos no mercado, posicionando-se numa área de mercado muito específica: equipamentos de ar condicionado evaporativos directos e indirecto. Em entrevista, Pitta Pereira, director-geral da empresa do Porto, aponta a prioridade do momento: introduzir no mercado “uma tecnologia de arrefecimento completamente nova por via de evaporação indirecta de ar com alto rendimento”.

Que balanço faz do momento actual do mercado do ar condicionado nacional?
Segundo os dados que nos são facultados pela associação do sector a que pertencemos, o balanço é favorável ao mercado nacional (AVAC), continuando a expandir-se, mas a um ritmo mais moderado, seguindo o enquadramento da economia.

Em que segmentos têm registado melhores resultados?
No exercício da nossa actividade durante a época passada, a maior procura continuou a ser nos equipamentos de insuflação directa BREEZAIR, sentindo-se uma maior procura pelos novos equipamentos de insuflação indirecta que estamos a lançar nas gamas CLIMATEWIZARD e COOLERADO, dados a conhecer também na Feira de Climatizacion 2019 em Madrid. Importante tem sido igualmente o lançamento do novo comando MAGIQTOUCH, que pode controlar até 130 equipamentos, deixando de ser necessário estar fisicamente presente para operar o sistema, uma vez que os utilizadores o podem controlar a partir de Gestão Técnica Centralizada, PC ou smartphone.

Que fragilidades continuam a existir para o sector?
As fragilidades devem-se, na nossa opinião, à dificuldade no cumprimento de prazos de pagamento, umas vezes por falta de fundo de maneio de alguma empresas, obrigando-as a solicitar créditos alargados. Ora isto, e em alguns casos, leva-nos a não satisfazer as suas encomendas por falta de garantias.

Antecipa algum efeito no mercado por estarmos em ano de eleições?
Vivemos um ano eleitoral, demasiado longo, até que os portugueses escolham o próximo Governo. Nada a que não estejamos habituados e que, na nossa opinião, já não interfere na actividade das empresas e na vida das pessoas. O que pode vir a ter importância para as empresas e população em geral prende-se com o rumo na implementação do Programa de Estabilidade depois das eleições e as prováveis consequências da saída do Reino Unido da comunidade europeia.

A nossa prioridade, neste momento, é a introdução no mercado de uma tecnologia de arrefecimento completamente nova por via de evaporação indirecta de ar com alto rendimento”.

Como vê a evolução e introdução de novas tecnologias nos equipamentos?
O aumento da procura de energias alternativas é um facto. Há uma maior consciência nacional nas questões ecológicas, acompanhando a preocupação deste problema a nível global. Cada vez mais, as empresas procuram reduzir custos, optando por equipamentos com baixo consumo de energia e melhor rendimento de arrefecimento. É precisamente aqui que se enquadram os nossos equipamentos industriais BREEZAIR com consumos na ordem dos 950W.

Em termos de investigação e desenvolvimento, como está a Coolair a acompanhar essas tendências?
O departamento Investigação, Inovação e Desenvolvimento tecnológico da nossa representada Seeley, na Austrália, desenvolve sistematicamente trabalhos experimentais e teóricos com vista à obtenção de novos conhecimentos e tecnologias que possam ser utilizados no desenvolvimento de novos equipamentos e/ou processos, sistemas e serviços, ou na melhoria substancial dos já existentes, e tendo como compromisso a evolução no lançamento de soluções de controlo climático com alta eficiência energética e altamente inovadoras.

Quais são os principais destaques dos equipamentos da Coolair neste momento?
A nossa prioridade, neste momento, é a introdução no mercado de uma tecnologia de arrefecimento completamente nova por via de evaporação indirecta de ar com alto rendimento. A CLIMATEWIZARD usa os mesmos princípios que o arrefecimento por evaporação directo, mas não adiciona humidade no ambiente à medida que vai arrefecendo. Isto significa que o rendimento de arrefecimento do CLIMATEWIZARD pode desafiar os melhores sistemas de ar condicionado (Chillers e UTAs), usando até uns 80 % menos de energia. Estas são somente excelentes notícias para a redução nos custos de exploração, reflectidos nas facturas de electricidade mensal das empresas, como também para a protecção do meio ambiente.