Para trilhar o caminho para cidades mais inteligentes, autarquias, instituições públicas e privadas, empresas e start-ups vão reunir-se, na próxima semana, no maior encontro nacional em torno das smart cities. O PORTUGAL SMART CITIES SUMMIT, agendado para os dias 16, 17 e 18 de Novembro, irá decorrer no Centro de Congressos da FIL – Feira Internacional de Lisboa, no Parque das Nações, e terá entrada gratuita.

Durante três dias, a Associação Industrial Portuguesa (AIP), entidade promotora do PORTUGAL SMART CITIES SUMMIT, transforma a FIL num marketplace físico para a troca de conhecimentos e experiências e para a criação de oportunidades para o mercado nacional e internacional. Das 9h30 às 19h, é possível visitar espaços como o Smart Garden ou Smart B2B, onde expositores dão a conhecer o seu trabalho e os seus objectivos, e aceder a um programa de conferências que visa elementos-chave para o desenvolvimento de cidades inteligentes.

Governação para e de smart cities, financiamento público e privado, desafios económicos e ambientais da transição energética, inovação e transformação no âmbito do Novo Bauhaus Europeu, mobilidade mais sustentável e mais acessível, gestão de resíduos e economia circular, projectos promotores de saúde e bem-estar e novas oportunidades no sector da água são os temas em destaque nas sessões de apresentação, discussão e Q&A.

Reflectindo o propósito do evento de contribuir também para a reflexão sobre o futuro da organização das cidades no mundo, a última secção temática é dedicada ao conceito de smart cities, onde importa incorporar todas as áreas debatidas ao longo do PORTUGAL SMART CITIES SUMMIT. Sob o chapéu da “transformação sustentável”, esta secção irá abordar questões ligadas à transição digital, à tecnologia 5G, à renovação dos edifícios, à transformação na mobilidade, à revolução urbana na área da energia e ao caminho a percorrer para se desenvolverem cidades sustentáveis.

Até ao momento, encontra-se confirmada a participação dos secretários de Estado Ricardo Pinheiro, do Planeamento, André de Aragão Azevedo, para a Transição Digital, Inês Costa, do Ambiente, e Eduardo Pinheiro, da Mobilidade, bem como de Jorge Esteves, director da Direcção de Infraestruturas e Redes da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) e, através de uma mensagem gravada, de Elisa Ferreira, Comissária Europeia da Política de Coesão e Reformas.

Além destas figuras, estarão presentes representantes de instituições superiores de ensino em Portugal, de câmaras municipais, de empresas como a EDP, a NOS, a Deloitte, a Mobi.E, a EGF – Environment Global Facilities, e de diversas associações e iniciativas na área da energia, tecnologia e ambiente. Neste panorama, inclui-se a internacional GeSI – Global Enabling Sustainability Initiative, que promove um programa de “Pitch Area”, no qual o Centro de Investigação em Ciências da Informação, Tecnologias e Arquitetura do Iscte (ISTAR-Iscte) apresenta alguns projectos de investigação que tem levado a cabo com empresas e outras entidades no âmbito da conectividade, segurança, sustentabilidade e saúde.

A entrada no evento, dirigido a autarquias, entidades públicas e privadas, instituições de ensino, empresas e sociedade em geral, é gratuita – medida que a AIP caracteriza como sendo de apoio à recuperação da economia nacional dado o impacto da pandemia de Covid-19. O acesso ao recinto está sujeito a registo prévio e ao cumprimento das normas de segurança, tais como uso de máscara obrigatório e apresentação de certificado de vacinação/recuperação válido ou de um dos testes ao SARS-CoV-2 aceites.

 

A revista Edifícios e Energia é um dos media partners deste evento.

Este artigo foi originalmente publicado aqui.