Estudo indica que, do parque habitacional para venda ou arrendamento em Portugal, apenas 13,9% das casas incluem ar condicionado, apresentando grandes diferenças, de região para região.

Quando chega o Verão, o ar condicionado faz parte do dia-a-dia, estando ligado nos diversos sítios onde circulamos e frequentamos, sejam transportes públicos, sejam carros ou centros comerciais. No entanto, esta realidade muda quando se fala no parque habitacional português, neste caso, o que se encontra no mercado para venda ou arrendamento. Segundo um estudo da plataforma imobiliária idealista, só 13,9% das casas à venda ou para arrendar, em Portugal, têm sistema de ar condicionado. Analisando mais de 278 900 casas à venda e para arrendamento, anunciadas na sua base de dados a 19 de Julho de 2019, a empresa concluiu que existem diferenças notórias entre cidades e regiões.

O Algarve é a região do país onde existe uma maior percentagem de casas climatizadas com ar condicionado, com 31%, seguindo-se a região de Lisboa, com 18,5% e, em terceiro, fica o Alentejo, com 14% de casas para venda ou arrendamento com ar condicionado. Em último, nesta lista, encontra-se a região dos Açores, com 3,9%. 

No que toca a cidades, Faro, com 31%, é a cidade que apresenta mais casas com ar condicionado anunciadas para venda e arrendamento, seguida de Viseu, com 23,8%, Braga, com 21%, e Lisboa, com 18,5%. No Porto, os números já descem para os 13,1% e a tabela termina na cidade da Guarda, com 2,8%, e que fica, assim, como a cidade portuguesa com menos casas anunciadas para venda e arrendamento equipadas com ar condicionado.

Venda vs. Arrendamento

Mas não são só as cidades a apresentar diferenças no que toca à disponibilidade de sistemas de ar condicionado. O sistema de transacção também conta para este estudo e a diferença entre o arrendamento e a venda é significativa, com o arrendamento a ocupar uma posição mais favorável.

Das casas para venda, apenas 13,8% possuem sistema de ar condicionado, um número que sobe para os 17,1% quando se fala em arrendamento. Também neste factor as diferenças são notórias consoante as cidades, sendo que existem excepções: Faro apresenta 31,2% das casas para venda com esse sistema, baixando para os 13,3% no arrendamento, à semelhança de Coimbra, com 14,8% de casas à venda com ar condicionado, e apenas 4,2% no que toca ao arrendamento.

Já dentro da tendência da maioria, Lisboa apresenta 20,2% das casas para arrendar com ar condicionado, já para compra são 18,3%. Em Évora, as diferenças são mais acentuadas, com o arrendamento a registar 28,6% e a venda 8,5%.

De referir que, neste estudo, em Beja, Bragança, Guarda e Portalegre não existiam casas para arrendar com ar condicionado.

Números mais altos do que o ano passado

Em comparação com o estudo que o idealista realizou em 2018, a 6 de Agosto, os números de 2019 são mais altos. O ano passado, apenas 9,2% dos mais de 177 400 imóveis inscritos naquela plataforma, para venda ou arrendamento, tinham ar condicionado. Os números deste ano situam-se nos 13,9%.

Faro também era a cidade que apresentava mais casas com ar condicionado, anunciadas para venda ou arrendamento, e a Guarda também ocupava o último lugar na tabela, como a cidade portuguesa com menos casas anunciadas para venda e arrendamento equipadas com ar condicionado.

No que toca a regiões, o pódio também era ocupado pelo Algarve, seguindo-se Lisboa e o Alentejo, mas a região com menos casas para venda ou arrendamento com ar condicionado era a da Madeira (e não dos Açores, como este ano).

Por fim, e nas diferenças entre venda e arrendamento, continuam a existir mais imóveis com ar condicionado disponíveis para arrendar do que para vender. Em 2018, 14,6% os imóveis para arrendar tinham ar condicionado, este ano o número subiu para os 17,1%. Já na venda, eram 9,1% o ano passado, tendo subido 13,8% este ano.