2018-03-16
MCE: O que esperam as empresas portuguesas da feira de Milão?
Filipa Cardoso

Acontece a cada dois anos e 2018 é um deles. Algumas das principais marcas do sector da climatização, instalação e energias renováveis juntam-se em Milão, para mais uma edição da Mostra Convegno Expocomfort. Entre estreias e presenças habituais, mais de uma dezena de empresas portuguesas vão estar no evento e relevaram à Edifícios e Energia o porquê.

Entre os dias 13 e 16 de Março, a Fiera Milano recebe a 41ª edição de 2018 da Mostra Convegno Expocomfort (MCE), uma das mais importantes exposições mundiais dos sectores do ar condicionado, instalação industrial e residencial e energias renováveis.  Com mais de dois mil expositores confirmados e uma audiência esperada superior a 155 mil visitantes, o certame vai também contar com a presença nacional, com, pelo menos, 15 empresas portuguesas a constarem do catálogo.

A comitiva portuguesa conta com várias empresas para as quais esta será a primeira vez em Milão. É o caso da Sire Chillers, empresa com mais de 30 anos e que chegará directamente da Marinha Grande. A marca de chillers industriais quer distinguir-se pela “elevada eficiência dos seus produtos”, mas também pela criação da relação com o cliente, cujo início, referem, acontece “na altura da compra”. Sobre a presença na feira italiana, Fernando Esteves, da marca, explicou à Edifícios e Energia que, “mais do que arranjar clientes, é necessário passar a ideia de chillers novos com nova ideia de mercado”.

Depois de ter visitado o evento por várias vezes em edições anteriores, em 2018, a Chatron optou por marcar a sua presença em Milão como expositor. “Este ano, temos muitas novidades a apresentar ao mercado mundial e esta feira pareceu-nos uma das mais internacionais do sector da climatização”, justificou Carlos Brandão, commercial manager da empresa, acrescentando que o propósito passa também por aumentar o número de países para os quais exportam (cinco, actualmente). Para cumprir o objectivo, a Chatron conta com o Biocooler Solar, com o qual “é possível arrefecer naves industriais, armazéns e outros locais sem qualquer consumo energético da rede”. Para além das unidades e acessórios, os kits do Biocooler Solar incluem ainda os painéis fotovoltaicos necessários para a sua alimentação durante o dia, havendo sempre a possibilidade de comutação à rede durante a noite. “Não utilizam baterias e não necessitam de muitos painéis fotovoltaicos para o conseguir graças ao elevador de tensão DC que a Chatron produz e que permite accionar os equipamentos com apenas dois painéis fotovoltaicos de 280 Wp”, explica. “Trata-se de um produto inovador a nível mundial e estamos muito esperançados no sucesso que irá ter em países com muito sol e com muita necessidade de arrefecimento dos espaços interiores”, confessa o responsável à Edifícios e Energia.

Do lote dos estreantes, consta ainda a Zypho, empresa do Montijo, participada pela EDP, que desenvolve, produz e comercializa recuperadores de calor de água do duche. A inovação, explica Daniel Santos, gestor de vendas, está devidamente patenteada e certificada e “permite reutilizar o calor da água do duche para obter poupanças energéticas no aquecimento de águas sanitárias”. Sendo já comercializada no exterior, nomeadamente nos mercados Benelux, Reino Unido, Escandinávia, França e Alemanha, a Zypho vai a Milão na expectativa de “continuar a divulgar a tecnologia que representa uma grande inovação para o campo da eficiência energética”. Mas não só: a empresa quer também continuar a firmar parcerias com distribuidores do sector nos vários países da Europa e conhecer empresas de referência no sector, concorrentes, assim como estar a par das novas tendências e inovações – “é essencial para que possamos adaptar o nosso produto e a nossa empresa às necessidades de cada mercado”, avança. Apesar de ser a primeira vez em Milão, a Zypho tem já experiência em certames internacionais, tendo participado já por três vezes na ISH Frankfurt. “Existem poucas feiras que sejam tão representativas do sector de sanitários e eficiência energética na Europa como a MCE Milão e a ISH Frankfurt. Na nossa opinião, estas duas feiras são essenciais para qualquer empresa que se queira afirmar neste mercado, pelo que definimos na nossa estratégia de internacionalização a participação regular em ambas”, revelou.


Reforçar a presença no mercado internacional é o intuito da Openplus Energy Systems, ainda que não traga nenhuma novidade entre os seus produtos. "Queremos estar presente", afirma Miguel Rios, export manager da empresa do sector solar.


Se, para algumas empresas nacionais, 2018 é o primeiro ano enquanto expositor em Milão, para a Energie, esta não será uma estreia. A empresa de soluções solares termodinâmicas vê o evento como “uma referência no sector não só para o mercado italiano, mas, sobretudo, para os mercados transalpinos, do Sul da Europa e dos países bálticos”. Em exposição, as novidades da empresa serão o Eco-Top, uma solução de produção de águas quentes sanitárias solar termodinâmica “mais compacta e fácil de instalar”, e o novo bloco solar, uma solução para aquecimento central, “que funciona sem sol e a temperaturas abaixo do zero” – um equipamento que, segundo a Energie, é “necessário essencialmente nos mercados do centro e Norte da Europa. “Iremos estar presentes com o objectivo de reforçar a imagem de marca, reunir com os nosso clientes estreitando relações e, sobretudo, encontrar parceiros interessados em ajudar-nos a aumentar a capilaridade nos mercados alvos desta feira”, explica a empresa da Póvoa do Varzim.

 

Também do Norte de Portugal, a Metalurgia Videira tem espaço reservado na Rho Fiera. À Edifícios e Energia, Carlos Rocha explicou que o propósito é "experimentar" e "perceber qual o perfil do visitante, se difere muito do que encontraram em Março de 2017 em Frankfurt [ISH]". A fabricante nacional de depósitos e termoacumuladores tem um objectivo bem marcado no que se refere à internacionalização e acredita que o segredo para o sucesso passa por encontrar "clientes cirúrgicos".

 

 

Veja a foto-reportagem da Mostra Convegno Expocomfort 2018 aqui.

 

 

O artigo foi actualizado em 16/03/2018, com os contributos recolhidos no evento das empresas portuguesas Metalurgia Videira e Openplus.

ASSINE JÁ
aceito os termos e condições