2014-03-17
“O sucesso dos objectivos europeus depende da correcta implementação da nova regulamentação”

João Quaresma é arquitecto e especialista nas áreas da eficiência energética e construção sustentável. O especialista será orador na conferência “Mais Qualidade nos Edifícios: Nova Regulamentação de Desempenho Energético nos Edifícios”, no próximo dia 31 de Março, na qual falará sobre o papel da arquitectura na nova regulamentação e o seu contributo para o desempenho energético dos edifícios.

 

Qual a oportunidade para a realização desta conferência?

Esta nova regulamentação sobre Desempenho Energético nos Edifícios, agora em vigor, surge na sequência de várias regulamentações anteriores, num processo natural e evolutivo, que procurou evitar rupturas acentuadas com tecnologias e sistemas construtivos, mais tradicionais, dentro do panorama edificado existente. Este é, provavelmente, o passo mais importante e relevante dos objectivos de uma política Europeia na área da energia e mais concretamente na vertente dos edifícios, com metas futuras mais exigentes (nZEB), pelo que o sucesso desses objectivos depende muito da sua correcta implementação e consequentemente, a criteriosa aplicação por todas as partes envolvidas, reveste-se de especial importância. Assim que esta iniciativa desenvolvida entre a Energia e Edifícios e a ADENE não só é oportuna, como fundamentalmente necessária, numa perspectiva de disseminar a informação relevante para garantir um futuro equilíbrio energético sustentável numa Europa com recursos naturais muito limitados, em que os edifícios representam o maior potencial de redução de consumos.


Que benefícios os participantes poderão retirar?

Dentro de uma temática ampla e integrada que caracteriza esta nova regulamentação, os participantes vão certamente poder assistir a diferentes análises e perspectivas de uma regulamentação que é pluridisciplinar e abrangente, pelo que os benefícios serão múltiplos dentro das diversas áreas de interesse individual. Uma perspectiva múltipla e integrada de conceitos técnicos e estratégicos decorrentes da aplicação prática da regulamentação.


Qual a importância da arquitectura neste processo?

A arquitectura, e em concreto o processo de criação arquitectónica, é o momento onde todas as disciplinas e especialidades de concepção de um edifício convergem, mas também o ponto de partida que marcará e condicionará o seu desempenho durante todo o seu ciclo de vida, afectando directamente o conforto, a economia e a segurança dos seus utilizadores. Esta nova regulamentação vem não só dar relevo a essas exigências, como possibilitar que, através de processos de medição e avaliação, se possa colocar em análise para futura decisão as diferentes estratégias a adoptar. Vem igualmente revelar que não só é necessário como é fundamental desenvolver os projectos de forma integrada e pluridisciplinar, pois só através da complementaridade de todas as variáveis técnicas, num efeito cumulativo de estratégias de projecto e soluções construtivas se pode atingir a excelência, e deste modo a qualidade.


De forma geral, do que nos vai falar na sua apresentação?

Irei focar a minha apresentação nos aspectos mais específicos da arquitectura e dos elementos passivos que, nesta nova regulamentação, contribuem de forma determinante para o desempenho energéticos dos edifícios, e que deverá funcionar como um plano de gestão que vise em concreto a redução das necessidades de energia e a utilização de sistemas, e que podem ser obtidas através de estratégias de concepção, preferencialmente integradas, demonstrando o impacto das mesmas dentro do enquadramento da nova regulamentação.

ASSINE JÁ
aceito os termos e condições