2018-12-06
InovaDomus apresenta projecto “Construção para a Saúde”
David Alvito

A Ordem dos Arquitectos, no Porto, foi o espaço escolhido pela InovaDomus – Associação para o Desenvolvimento da Casa do Futuro para a apresentação do projeto “Construção para a Saúde”. Esta é uma iniciativa de junta vários players e entidades ligadas à Universidade de Aveiro (UA), com vista a potenciar o desenvolvimento e construção de habitações mais saudáveis.

 

Segundo António Oliveira, presidente da InovaDomus, o tema da construção de casas mais saudáveis vai dinamizar a economia nos próximos anos; há até quem lhe chame a indústria do futuro: a saúde. E o sector da construção deverá adaptar-se, para assegurar que temos casas mais saudáveis, mais amigas de todos, não só daqueles que estão doentes ou envelhecidos, e que precisam de necessidades especiais para habitarem nas suas casas, mas também de todos aqueles que não estão doentes, mas que beneficiam se viverem num ambiente mais saudável, uma vez que actualmente passamos 90 % do nosso tempo dentro de edifícios”.

 

A UA estará representada através de uma equipa com um leque alargado de elementos, no qual se incluem o Departamento de Engenharia Civil, o Instituto Superior de Contabilidade de Administração, o Departamento de Ciências Biomédicas e a Escola Superior de Saúde. A instituição aveirense terá um papel preponderante no desenvolvimento e implementação desta iniciativa, com acções de benchmarking de estudos e normas, não só no nosso país, mas também no estrangeiro, levantamento e tratamento de informação regulatória, apoio científico no tratamento de informação e proposta da versão final de contributos recolhidos.

 

No passado mês de Outubro, o Estado português lançou um projecto para que, em 2019, 23 hospitais passem a contar com a possibilidade de hospitalização domiciliária, um modelo já em prática em vários países e que tem trazido resultados bastante animadores em termos de diminuição de infecções através de bactérias multirresistentes. Por isso, para António Oliveira, “compete aos diversos players criar as condições para que a hospitalização domiciliária possa acontecer em segurança. Especificamente, ao sector da construção, compete-lhe perceber as condições, os produtos e as soluções que podem e devem ser incorporados nas habitações. Após algumas pesquisas, verificámos que a ligação da construção e da saúde, é ainda um tópico a explorar, a nível nacional e europeu”.

 

Assim, através do projecto “Construção para a Saúde”, o mercado da construção e do imobiliário poderá contar com o máximo de informação e de conhecimento acerca das melhores técnicas e soluções em termos de construção, com vista a obter um positivo impacto na saúde da população.

ASSINE JÁ
aceito os termos e condições