2018-10-25
Índia lança primeiro plano nacional de arrefecimento
David Alvito

O governo indiano quer reduzir em 30 % o uso de energia para fins de aquecimento nos próximos 20 anos. A meta foi oficialmente definida num plano de acção, o India Cooling Action Plan (ICAP), apresentado no mês passado e que é uma iniciativa inédita a nível mundial.

 

Segundo a informação divulgada pelo ministro do Ambiente, Ciência e Tecnologia, Harsh Vardhan, o propósito do plano é garantir que a Índia se sincroniza com os objectivos do Protocolo de Montreal (redução das emissões de gases que destroem a camada de ozono) e o Acordo de Paris (redução das emissões de dióxido de carbono).

 

A Índia prevê que, nos próximos anos, as necessidades agregadas de arrefecimento no país aumentem cerca de oito vezes, com os aparelhos de ar condicionado a utilizarem mais de metade do total de energia necessária para arrefecimento em 2037/2038. Tendo em conta estas necessidades energéticas nos próximos anos, o governo do país desenhou e apresentou um plano que tem o propósito de fornecer guias de orientação para o governo e stakeholders, incluindo usuários residenciais e comerciais, de modo a seja possível completar uma redução do consumo energético em termos de arrefecimento de cerca de 30 %, até 2037/2038.

 

A iniciativa não surge isolada e, nos últimos tempos, a Índia tem vindo a tomar medidas com vista à poupança de energia. Em Junho, por exemplo, o Bureau Of Energy Efficiency (BEE), um organismo do governo indiano, que está sob a dependência do ministério do Poder, recomendou que, durante seis meses, todos os ares condicionados estivessem nos 24ºC, uma medida de teste para poupar energia que levantou dúvidas na altura. Ainda assim, o governo não pretende, nesta altura, tornar a medida obrigatória. O executivo quer obter mais dados do público e dos diversos intervenientes, assim como dos fabricantes.

 

Por enquanto, o uso de energia para arrefecimento dos espaços na Índia é muito inferior comparativamente a países como os Estados Unidos, Japão e países da União Europeia, e mesmo países em crescimento, como a China, Brasil e México. Em termos globais, o consumo energético para arrefecimento é de 272 kWh (kilowatt-hora), ao passo que na Índia, per capita, o consumo é meramente de 69 kWh. Os Estados Unidos da América têm o maior consumo per capita, com 1878 kWh.

ASSINE JÁ
aceito os termos e condições