2017-08-31
China ultrapassa meta solar para 2020 e deixa Europa para trás

A China ultrapassou largamente as suas metas para a energia eléctrica solar. Números divulgados pela AECEA, empresa de consultoria energética,  e avançados pelo EuroActiv, revelam que a super-potência asiática alcançou, em Julho, 112GW de capacidade instalada, bem acima do objectivo, traçado para 2020, de 105GW.

 

Só em 2017, a capacidade instalada de energia solar eléctrica chinesa aumentou 24,4GW, cimentando o seu estatuto de líder mundial e deixando cada vez mais para trás o continente europeu. Não deve, contudo, ficar por aqui. A nova capacidade instalada este ano poderá ainda vir a alcançar os 45GW. Como termo de comparação, a capacidade instalada total da Alemanha em 2016 era de 41,1GW.

 

Apesar do notável crescimento, o sector solar chinês não está isento de desafios. Por enquanto, a capacidade de produção de energia solar daquele país só permite satisfazer 1 % das necessidades totais de energia, permanecendo o carvão como a principal fonte de produção energética.

 

A aumentar também está a pressão sobre a performance do continente europeu, sendo que, recentemente, têm sido vários os grupos ligados às renováveis a pedir mais ambição. A SolarPower Europe, associação que reúne várias organizações ligadas à energia solar fotovoltaica na Europa, lançou um desafio à União Europeia (UE): passar da actual meta de 27 % para as fontes de energia renovável, até 2030, para os 35 %.

 

O mais recente relatório Global Market Outlook, da mesma associação europeia, concluiu que só uma meta de 35 % poderá manter o ímpeto da indústria das renováveis. O mesmo documento estima que, actualmente, a própria meta dos 27 % pode estar em risco, dá conta o portal de notícias europeu.

ASSINE JÁ
aceito os termos e condições