2017-11-24
EFRIARC junta-se à Eurovent para dar voz ao Sul da Europa
Filipa Cardoso

A EFRIARC – Associação Portuguesa dos Engenheiros de Frio Industrial e Ar Condicionado vai, a partir de 1 de Janeiro de 2018, fazer parte da Eurovent. O anúncio foi feito ontem, em Lisboa, durante o 18º Seminário de Outono da EFRIARC, pelo representante da associação europeia Morten Schmelzer e pelo presidente da associação portuguesa, António Lopes do Rego.  

 

Com esta novidade, não é apenas a EFRIARC enquanto associação que se une à família Eurovent, mas também os mais de 30 fabricantes nacionais que dela fazem parte. “Isto não traz benefício só para os nossos associados, mas sim para o país”, afirmou à Edifícios e Energia António Lopes do Rego, explicando que, até aqui, Portugal e as empresas do mercado português não tinham uma representação nas reuniões e tomadas de decisão da Eurovent, o que excluía considerações importantes relativas ao contexto português, por exemplo, nos casos de requisitos de certificação.

 

“As necessidades portuguesas são muitas vezes diferentes devido à nossa localização remota no Sudoeste da Europa e às condições ambientais distintas. Queremos apoiar a família Eurovent no desenvolvimento de legislação e de normas que são tidas em conta naquilo que são os requisitos para toda a Europa”, afirmou.

 

Para além disso, acrescentou o responsável, os fabricantes portugueses que fazem parte da EFRIARC deixam de pagar uma quota de associado à Eurovent, passando esta a ser paga pela EFRIARC, ainda que “com base num acordo entre a associação portuguesa e as empresas”, esclareceu Lopes do Rego.

 

Por sua vez, do lado da entidade europeia, Schmelzer mostrou-se também satisfeito com a adesão da associação portuguesa, “o que destaca a força e a ambição recuperadas da indústria portuguesa de AVAC, a qual não só desempenha um importante papel na Península Ibérica, como na América Latina e no Norte de África”.

 

“Ao longo dos últimos anos, temos visto que a legislação europeia não tem tido em conta os climas do Sul da Europa, por exemplo no que se refere aos requisitos obrigatórios para a recuperação de calor. Além disso, nem todos os fabricantes têm os recursos para estar presentes em todas as reuniões que acontecem em Bruxelas. Com a EFRIARC, queremos reforçar a voz do Sul da Europa”, concluiu o especialista.

 

Esta foi a 18ª edição do Seminário de Outono da EFRIARC, que teve lugar ontem no Olaias Park Hotel, em Lisboa. Num evento com casa cheia, para além do anúncio da adesão à Eurovent, o encontro foi ainda espaço de debate sobre uma série de outros temas, desde os dez anos da Certificação Energética, aos critérios de avaliação de sustentabilidade, flexibilidade energética ou as novidades nas normas  para a classificação de filtros de ar, ambiente interior ou sistemas de climatização. No programa da tarde, a ligação entre a arquitectura e as estratégias passivas, um novo paradigma dos sistemas de refrigeração em grandes superfícies e os requisitos futuros para chillers e bombas de calor foram os temas fortes. A sessão de trabalhos terminou com a apresentação das inovações tecnológicas das empresas Contimetra, Daikin, Danfoss, Zihel Abegg, WWS, Mez-Aeroseal, Wilo, Ocram, ConsulCAD, Wayse (Lunos) e Mitsubishi Electric.

ASSINE JÁ
aceito os termos e condições